Buscar
  • Ana Luiza Panyagua Etchalus

O COMERCIAL TEM RAZÃO: MUITAS COISAS NA VIDA NÃO TÊM PREÇO!

Atualizado: Jun 20

Uma peça publicitária recente utilizava a expressão "algumas coisas não têm preço" para enfatizar a satisfação em utilizar determinado produto, associando-o à satisfação plena na vida.

Embora a afirmação seja recorrente no vernáculo, tornou-se mais famosa com a circulação do referido comercial.

Eu não queria parafrasear os publicitários, mas a verdade é que, cá entre nós, não consigo utilizar outra expressão que possa identificar o meu grau de satisfação com o feedback recente de alguns clientes que participaram da construção de seu próprio contrato, de maneira colaborativa e consciente. Por razões de confidencialidade que envolvem seus respectivos segredos de negócio, não estou autorizada, pelo menos por ora, a identificá-los, mas posso, isto sim, compartilhar de maneira muito orgulhosa e saborosa, os seus feedbacks:


1) Como foi para você, pessoalmente, participar da construção de um contrato de uma forma não convencional?

" Foi uma experiência enriquecedora" - CG - Porto Alegre - RS


" Duas etapas: Primeiro, pelo fato de pensar e ter a responsabilidade direta do conteúdo a ser escrito e discutido amplamente com a outra parte integrante do documento. Isso exigiu tempo, dedicação e aprofundamento do entendimento do significado do contrato colaborativo.


Segundo, posso dizer que houve lapidação do eu interior, pensar na proteção com reciprocidade. Nesta segunda etapa foi possível identificar claramente meus valores e aplicá-los o documento que servirá de guia ao propósito da constituição da sociedade" - S.S. - Porto Alegre - RS"


2) Você pensa que o resultado atendeu suas expectativas?


"Sim, perfeitamente. O documento elaborado possui a alma das partes envolvidas e, certamente, às mesmas nunca poderão dizer que não leram ou não interpretaram o documento corretamente". - S.S. - Porto Alegre - RS

"Excedeu as minhas expectativas" - CG - Porto Alegre - RS


3) Sentiu que a profissional conseguiu compreender as necessidades e interesses de maneira imparcial?


"A profissional Ana Luiza demonstrou dominar as questões tidas em face do Contato Consciente. Foi uma pessoa isenta, acessível, detentora de uma extraordinária capacidade de compreender as situações apresentadas." - CG - Porto Alegre - RS


"Conforme havia te dito em outras oportunidades, muito antes de assumirmos esta responsabilidade do contrato colaborativo, você consegue captar os anseios nas entrelinhas pois tens uma capacidade interpretativa fora da curva. Sua habilidade emocional e alegria da alma foram imprescindíveis na caminhada para construção do documento". - S.S. - Porto Alegre - RS


4) Poderia definir em uma frase como foi para você construir um Contrato Colaborativo e Consciente?


"O contrato colaborativo aplica os valores internos das partes e exige profunda responsabilidade pelo conteúdo."- S.S. - Porto Alegre - RS


"Uma forma eficaz de transformar assuntos difíceis em usuais, regrando-os de forma simples e fácil, onde cada parte expõe seu ponto e o outro escuta, fortalecendo a parceria tida no início da caminhada". - C.G. - Porto Alegre - RS


Acredito que os leitores concordarão com meu grau de satisfação. Realmente, algumas coisas não têm preço!


Ana Luiza Panyagua Etchalus


advogada - contract builder





37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo